terça-feira, 29 de maio de 2018

CCZ promove ação educativa no Colégio Monsenhor Raeder




 


Nos dias 23 e 24 de maio, alunos do Colégio Monsenhor Raeder, no Barreto, participaram de ação educativa promovida pelo setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) – do Centro de Controle de Zoonoses de Niterói (CCZ)


O evento teve o objetivo de alertar os alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental sobre os perigos à saúde causados pelas principais arboviroses de interesse em saúde pública no momento (dengue, zika, chikungunya e febre amarela urbana). 


A equipe realizou estande educativo onde os visitantes puderam observar maquetes ilustrativas que mostram o ambiente certo e o errado para a proliferação de mosquitos numa residência, e com a ajuda de lupa eletrônica, foi possível verem como são os ovos, as larvas, as pupas e o mosquito adulto em tamanho original.





Além do estande, os profissionais ministraram palestra educativa, desenvolvendo a metodologia do diálogo interativo com apresentação de slide-show e abordando os seguintes temas: arboviroses e seus sintomas, a importância da vacinação contra a febre amarela, a desmistificação da questão equivocada da relação dos macacos com a transmissão direta da febre amarela em humanos, características do mosquito transmissor (o Aedes aegypti), principais medidas de prevenção e combate aos possíveis criadouros do vetor.



  


As maquetes fizeram bastante sucesso no estande, despertando a curiosidade principalmente dos pequenos, que se encantaram com as miniaturas de objetos que estão acostumados a ver em suas residências. Durante as palestras, muitas crianças relataram casos de arboviroses na família e fizeram perguntas pertinentes sobre o tema, tais como: “Podemos pegar chikungunya mais de uma vez?”, “Por que só a fêmea se alimenta de sangue?”, “Quanto tempo vive o mosquito?”, “Por que não tem vacina contra a dengue?”, “Por que tem países que não tem dengue?”.






“A resposta dos estudantes e professores foi positiva e satisfatória, evidenciada no envolvimento com as atividades propostas e na interação com os palestrantes e expositores. Os alunos demonstraram considerável interesse em aprender mais, especialmente sobre as características do Aedes aegypti e como evitar a proliferação desse mosquito no ambiente domiciliar”, avaliou a palestrante Maria Cristina Crisóstomo.



Equipe envolvida: agentes Antônio Pessoa, Hugo Costa, Maria Cristina Crisóstomo, Rodolfo Teixeira, Rogério Tavares e Rosani Loureiro.







Nenhum comentário:

Postar um comentário