sexta-feira, 14 de junho de 2024

CCZ fala sobre pombos urbanos no Projeto Ligados em Saúde do CIEP Emiliano Di Cavalcanti



O setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC), do Centro de Controle de Zoonoses, realizou palestra sobre pombos urbanos no CIEP 450 Emiliano Di Cavalcanti, no bairro Badu, na última semana (dia 06/06).

O propósito foi dar continuidade às ações educativas em saúde para o Projeto Ligados em Saúde, sensibilizando os alunos do 9º ano do ensino fundamental sobre a importância da adoção de medidas que evitem a oferta de alimento e o acesso a locais que possam se tornar abrigo dos pombos e favorecer a reprodução dessa ave – especialmente no ambiente domiciliar e de convívio. 

A agente Patrícia de Oliveira apresentou como pauta os tópicos: biologia dos pombos, os fatores que favorecem sua presença, os cuidados para manejá-lo, quais as principais doenças causadas e como deve ser feito o controle efetivo desses animais. 

A professora de ciências Rogéria Herminda deu início à atividade destacando as razões pelas quais os pombos são protegidos por lei. Ela enfatizou que exterminá-los é não apenas proibido, mas também um ato criminoso. A palestrante do IEC prosseguiu com a explanação de que eliminar pombos não é a solução ideal para o problema que representam como praga urbana e que o manejo adequado dessas aves é o método mais seguro e sustentável para prevenir as complicações que causam. Tal manejo inclui a instalação de barreiras físicas e a implementação de outros procedimentos ajustados às particularidades de cada local.

Na sequência, foram apresentadas as doenças que podem ser transmitidas pelos pombos, tais como criptococose e salmonelose, entre outras. A profissional reforçou a importância de umedecer as fezes dos pombos antes de proceder à limpeza, a fim de evitar a inalação de fungos. A exposição foi concluída com uma análise dos danos econômicos causados pela presença dessas aves, bem como dos riscos que representam à saúde pública.

A palestra despertou grande interesse entre os alunos, muitos dos quais desconheciam os perigos associados à convivência com os pombos. Foi anunciado que a próxima palestra ocorrerá no dia 18 de junho e abordará as boas práticas na manipulação de alimentos.


 

segunda-feira, 10 de junho de 2024

Educação em Saúde realiza ação educativa sobre higiene pessoal no CIEP 450 Emiliano Di Cavalcanti


 


No dia 29 de maio, o setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC), do Centro de Controle de Zoonoses de Niterói (CCZ), realizou ação educativa sobre higiene pessoal CIEP 450 Emiliano Di Cavalcanti, no bairro Badu, em atendimento ao convite da coordenadora pedagógica Nathalia Caride.

A ação foi direcionada aos alunos do 9º ano do ensino fundamental que participam do Projeto De Olho na Carreira, voltado para o desenvolvimento pessoal, conhecimento profissional e do mercado de trabalho. O projeto se propõe a mostrar aos estudantes como se preparar para a futura entrada no mercado de trabalho.

Além de informar, teve como objetivo engajar os jovens na adoção de práticas saudáveis de higiene que beneficiarão a eles próprios e à comunidade escolar como um todo.  A atividade buscou:

Diagnosticar o conhecimento prévio dos estudantes sobre o tema, para entender suas noções e práticas atuais;

•  Discutir a importância dos hábitos de higiene para a saúde individual e coletiva, enfatizando como esses hábitos podem prevenir doenças;

•  Debater o papel da higiene pessoal no convívio social, abordando questões como bullying e preconceito que podem surgir em decorrência da falta de higiene;

•  Estimular a independência dos alunos para manter sua própria higiene pessoal, desenvolvendo habilidades para cuidar de si mesmos;

•  Refletir sobre as ações diárias relacionadas à saúde e higiene, promovendo a conscientização sobre a importância desses hábitos no dia a dia.

A agente Patrícia de Oliveira conduziu o debate através de bate-papo interativo e exibição de slide-show abordando os seguintes tópicos: conceito de higiene; higiene pessoal e ambiental; cuidados com pele, cabelo e boca; lavagem das mãos; como a autoimagem positiva do adolescente pode ser afetada pela higiene pessoal.

“Realizar essa atividade foi uma experiência gratificante. Os estudantes envolvidos no projeto demonstraram um interesse notável e uma educação exemplar, além de uma disposição para adotar práticas saudáveis. Eles já entenderam que manter uma boa apresentação pessoal — que abrange desde a higiene corporal e capilar até o cuidado com as vestimentas — é fundamental para a empregabilidade no futuro.  Também exploramos a importância da saúde ambiental, discutindo como ela é uma ferramenta vital na prevenção de uma variedade de doenças e na manutenção de espaços limpos e bem organizados. Essas práticas são essenciais não apenas para evitar o estresse, mas também para estimular um ambiente propício à produtividade”, explicou Patrícia.



sábado, 8 de junho de 2024

Educação em Saúde dá continuidade às ações educativas para o Projeto Ligados em Saúde

 


Dando continuidade às ações educativas para o Projeto Ligados em Saúde do CIEP 450 Emiliano Di Cavalcanti, no bairro Badu, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realizou palestra sobre roedores no dia 23 de maio na referida unidade de ensino.  A ação é uma parceria do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) do CCZ e a professora de Ciências Rogéria Herminda.

Conhecida como “a doença do jardineiro”, a esporotricose é uma zoonose que, além dos humanos, atinge os animais silvestres e domésticos, como gatos e cachorros. Nos gatos, a forma grave da doença é mais disseminada.

O objetivo da ação educativa em saúde foi informar aos alunos do 9º ano do ensino fundamental sobre a doença e o tratamento, e também sensibilizá-los quanto à importância da adoção de medidas preventivas no ambiente domiciliar. 

A agente Patrícia de Oliveira desenvolveu a atividade por meio de bate papo interativo e apresentação de slide-show, abordando os seguintes tópicos:

•  O que é esporotricose;

•  Agente causador (fungo);

•  Transmissão;

•  Como o gato se contamina;

•  Como se contrai a doença do gato;

•  Prevenção;

•  Tratamento.

Durante o encontro, discutiu-se amplamente sobre a prevalência da esporotricose na comunidade, uma vez que muitos participantes são tutores de felinos e residem em áreas onde a doença é comum. A conversa se concentrou principalmente nas medidas preventivas para manter um ambiente saudável: limpeza, organização e, especialmente, a manutenção regular do jardim, como capinar e podar árvores, são essenciais para garantir a incidência solar e evitar a umidade que propicia o crescimento de fungos.

A professora Rogéria Herminda, conhecida protetora de animais, enfatizou a responsabilidade dos tutores no cuidado com seus gatos. A palestrante, na oportunidade, divulgou a iniciativa de fornecimento gratuito de Itraconazol, um medicamento essencial no tratamento da esporotricose felina, disponibilizado pelo Projeto UFF/CCZ nas Policlínicas Regionais de Niterói.

Patrícia encerrou a reunião falando brevemente a respeito da esporotricose em humanos, discutindo os sintomas e orientando onde procurar tratamento.

O próximo encontro será em 06/06, e o tema central será “Pombos” e os desafios que representam para a saúde pública.







Arboviroses é tema de palestra do CCZ no Colégio Niterói

 


Tendo o objetivo de alertar os alunos acerca dos perigos à saúde causados pelas arboviroses (dengue, zika e chikungunya), estimulando atitudes preventivas e a multiplicação das informações na família, o setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) do Centro de Controle de Zoonoses de Niterói (CCZ) realizou palestras para turmas do ensino fundamental do Colégio Niterói, localizado no bairro Engenhoca, no dia 28 de maio.

A atividade foi realizada pelos agentes Marcelo Lins, Maria Cristina Crisóstomo e Rosani Loureiro, que utilizaram a metodologia do bate-papo interativo com apresentação de slide-show, exibição de vídeo e distribuição material informativo. 

O conteúdo programático contemplou os seguintes temas: arboviroses (dengue, zika e chikungunya) e seus sintomas, características do mosquito transmissor (o Aedes aegypti), principais medidas de prevenção e combate aos possíveis criadouros do vetor. 

Os alunos, demonstrando um considerável nível de interesse, engajaram-se ativamente na discussão, contribuindo com perguntas bem elaboradas que refletiam não apenas sua curiosidade intelectual, mas também um entendimento do tema abordado.

Ao estimular a participação dos estudantes e incentivar a multiplicação desses conhecimentos, o CCZ reforça a importância da educação como ferramenta fundamental no combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.




Pais e responsáveis de alunos da UMEI Vinícius de Moraes recebem palestra sobre pediculose

 


Pais e responsáveis de alunos da Unidade Municipal de Educação Infantil Vinícius de Moraes, localizada no bairro Sapê, receberam palestra sobre pediculose promovida pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), através do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC). 

A ação educativa em saúde ocorreu no dia 22 de maio e teve o objetivo de informar e orientar sobre os cuidados básicos para evitar infestação de piolho, como realizar a limpeza e, principalmente, o tratamento em seus filhos.

Desenvolvida pela agente Patrícia de Oliveira, a atividade se deu por meio de diálogo interativo e exibição de slide-show.  Em pauta, os seguintes tópicos: conceito de pediculose, tipos de piolhos, o piolho capilar, ciclo de vida, principais dificuldades causadas nas crianças e jovens, prevenção e tratamento. 

A explanação foi dedicada às práticas essenciais que pais e responsáveis devem adotar para fomentar a autoestima em seus filhos, culminando em um estilo de vida saudável reforçado por hábitos de higiene que promovem o bem-estar. Foi abordado também a importância de compreender os hábitos e a biologia dos piolhos como meio de fornecer estratégias preventivas e métodos de combate eficazes. A palestrante ainda demonstrou que a eliminação dos piolhos pode ser efetuada com o uso de um pente fino de metal, enquanto o vinagre se revela uma tática eficiente na remoção das lêndeas. Além disso, ela ressaltou a importância da atenção aos cuidados com o uniforme escolar, calçados e a higienização do ambiente doméstico.

A receptividade dos pais ao conteúdo foi notável, refletindo o valor da informação e a necessidade de conscientização sobre essas práticas vitais.






segunda-feira, 3 de junho de 2024

CCZ realiza palestra sobre arboviroses no Grupo Shore


Na última terça-feira (28/05), o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), por meio do seu setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC), realizou palestra sobre arboviroses no Grupo Shore – empresa de prestação de serviços de operação portuária, logística, transporte, armazenagem e reparo naval localizada no Centro de Niterói. A atividade se deu em atendimento ao convite do controlador de segurança e saúde ocupacional Carlos Vieira Rocha.

O objetivo foi fornecer informações essenciais sobre as doenças transmitidas por arbovírus (como dengue, zika, chikungunya e febre amarela), enfatizando a importância da prevenção e controle dessas doenças no ambiente de trabalho. A palestra propôs:

• Informar os colaboradores sobre o que são arboviroses, como são transmitidas, e quais são os sintomas e riscos associados a essas doenças;

• Ensinar medidas preventivas que podem ser adotadas para reduzir a proliferação de mosquitos, como eliminar focos de água parada, usar repelentes, e manter áreas de trabalho limpas e livres de criadouros;

• Explicar como a prevenção de arboviroses pode contribuir para a redução de ausências por doença, garantindo um ambiente de trabalho mais seguro e produtivo.

A equipe do IEC, representada por Cláudio Moreira e Vania São Paio, expôs o tema por meio de diálogo interativo, nos moldes de palestra, apresentação de slide-show e distribuição de material informativo. Além disso, foi possível ver como são os ovos, as larvas, as pupas e o mosquito adulto, em tamanho original, em recipientes adequadamente acondicionados (tubitos de vidro) e microscópio.

O conteúdo programático ministrado pelo palestrante Cláudio Moreira compreendeu os seguintes assuntos: arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, zika, chikungunya e febre amarela) e seus sintomas, características do mosquito transmissor, principais medidas de prevenção, e combate aos possíveis criadouros do vetor. 

O público – formado por cerca de 50 colaboradores dos setores de operações, meio ambiente, segurança do trabalho, materiais e administrativo – demonstrou interesse e participou ativamente, interagindo com o palestrante. O evento transcorreu de forma fluida, e muitos dos presentes ficaram surpresos com algumas informações compartilhadas:  quatro sorotipos diferentes do vírus da dengue - muitos dos ouvintes talvez não soubessem que a dengue não é causada por um único vírus, mas sim por diferentes variantes; ciclo evolutivo do mosquito Aedes aegypti - os participantes observaram atentamente os estágios desse vetor, desde os ovos até a fase adulta.

Em resumo, a palestra sobre arboviroses não apenas informou, mas também inspirou ações concretas. O público agora está mais sensibilizado dos desafios enfrentados e motivado a contribuir para um ambiente mais seguro e saudável.



















segunda-feira, 27 de maio de 2024

Treinamento para Médicos e Enfermeiros da Rede de APS: Fortalecendo o Combate à Raiva

 


No dia 20 de maio, o Centro de Controle de Zoonoses de Niterói (CCZ), por meio da Seção de Apoio Técnico e Planejamento (SATEP), em parceria com a Coordenação de Vigilância em Saúde (COVIG), realizou um treinamento conjunto sobre a Raiva no Núcleo de Educação Permanente e Pesquisa (NEPP). 

O treinamento teve o objetivo de capacitar médicos e enfermeiros da Rede de Atenção Primária à Saúde (APS) para o enfrentamento eficaz da Raiva, doença zoonótica grave e de notificação compulsória. 

A resposta que se pretende com essa capacitação dos profissionais de saúde é aprimorar a identificação, notificação e manejo dos casos de Raiva de forma eficaz, melhorando a qualidade do atendimento aos pacientes, garantindo um atendimento adequado e seguro. Além disso, fortalecer as ações de vigilância epidemiológica e controle da doença, diminuindo o risco de transmissão para a população. Dessa forma, contribuindo para a saúde pública como um todo, prevenindo a ocorrência de casos de raiva e protegendo a comunidade.

Através da atualização em temas relevantes e do aprimoramento de habilidades práticas, os profissionais da saúde estarão aptos a:

1. Dominar a Profilaxia da Raiva Humana:

• Compreender os princípios da profilaxia pré e pós-exposição à Raiva – incluindo a administração da vacina antirrábica e a aplicação da soroterapia, garantindo a proteção eficaz dos pacientes –, fornecer orientações precisas sobre as medidas de profilaxia à população e avaliar cada caso de forma individualizada, considerando os fatores de risco e histórico do paciente, para determinar a profilaxia adequada.

2. Compreender as Mudanças no Perfil Epidemiológico da Raiva:

• Analisar as características da doença no contexto atual, incluindo a predominância de casos em animais silvestres e a importância da vigilância epidemiológica.

3. Aplicar as Diretrizes da Nota Técnica Nº 8/2022-CGZV/DEIDT/SVS/MS:

• Dominar os procedimentos adequados para o manejo de casos suspeitos e confirmados de Raiva humana e animal, em consonância com as diretrizes do Ministério da Saúde.

4. Preencher Metodicamente as Fichas de Atendimento Antirrábico Humano:

• Garantir a coleta completa e precisa de informações relevantes para a investigação epidemiológica e a tomada de decisões adequadas em cada caso.

5. Compreender o Papel do Centro de Controle de Zoonoses de Niterói no Controle da Raiva:

• Estabelecer uma relação de colaboração com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Niterói, reconhecendo sua expertise na prevenção, diagnóstico e controle da doença.

Os profissionais Flávio Moutinho, médico veterinário do CCZ/UFF, e Marcelo Nóbrega, sanitarista da COVIG, conduziram a atividade por meio de explanação temática e apresentação de slide-show.  O primeiro palestrante ministrou o tema 5; enquanto o segundo, os temas 1 ao 4.

Durante o evento, notou-se que a maior preocupação dos participantes estava relacionada à prevenção da Raiva. Muitas perguntas surgiram sobre a vacinação antirrábica, que é a principal forma de prevenção contra essa enfermidade. Além disso, houve um interesse significativo em saber como proceder em situações onde morcegos são encontrados caídos no chão, uma vez que esses animais são potenciais transmissores da Raiva. As dúvidas incluíam desde a forma segura de se aproximar ou manusear esses animais, até as medidas que deveriam ser tomadas após o encontro, como notificar as autoridades de saúde e buscar orientação médica. Essas questões destacam a necessidade de amplitude da informação e educação em saúde pública para prevenir essa zoonose tão relevante.

O evento contou com a presença do chefe do Centro de Controle de Zoonoses, Fábio Vilas Bôas, e a chefe da Coordenação de Vigilância em Saúde, Ana Eppinghous.